10 de agosto de 2008

O uso do pronome relativo cujo

O pronome cujo é usado quando existe relação de posse entre os termos. Não vamos entrar em questões filosóficas (ninguém é de ninguém; o ser humano não tem dono). Se digo: O filhinho da mamãe, há, para efeitos didáticos, uma relação de posse.
Nunca se põe artigo antes de cujo; também é vedado o uso de artigo depois desse pronome. Jamais se poderá dizer: a mamãe cujo o filhinho.

É comum referir-se, pejorativamente, a alguém como cujo: Encontrei o cujo hoje. Somente em linguagem informal se poderá usar o pronome dessa maneira. Há duas impropriedades aí: cujo não indica posse além de vir precedido de artigo.

Guimarães Rosa (por meio de seu personagem Riobaldo) em Grande Sertão: Veredas, usa vários nomes para o diabo: O CUJO, o Oculto, o Tal, o Que-Diga, o Não-sei-que-Diga, o Que-não-Fala, o Que-não-Ri, o Que-nunca-se-Ri, o Sem-Gracejos, o Tristonho, o Muito-Sério, o Sempre-Sério, o Austero, o Severo-Mor, o Galhardo, o Romãozinho - um diabo-menino, o Rapaz, o Homem, o Indivíduo, Dião, Dianho, Diogo, o Pai-da-Mentira, o Pai-do-Mal, o Maligno, o Coisa-Ruim, o Tendeiro, o Mafarro, o Manfarri, o Canho, o Coxo, o Capeta, o Capiroto, o Das-trevas, o Tisnado, o Pé-Preto, o Pé-de-Pato, o Bode-Preto, o Cão, o Morcego, o Gramulhão, o Xu, o Temba, o Dubá-Dubá, o Azarape, o Dê, o Dado, o Danado, o Danador, o Arrenegado, o Dia, o Diacho, o Diabo, o Rei-Diabo, o Demo, o Demônio, o Drão, o Demonião, Barzabu, Lúcifer, Satanás, Satanazim, Satanão, Sujo (…), o Dos-Fins, o Solto-Eu, o Outro, o Ele.

O pronome relativo cujo vem entre dois nomes e significa do qual.
Veja como usá-lo.

Se digo: o apartamento do artista, existe uma relação de posse. O dono é o artista, o objeto posuído é o apartamento.

Então: O artista cujo apartamento (o artista do qual o apartamento).
Cujo concorda sempre em gênero e número com o objeto possuído.

O artista cuja obra.
O artista cujos apartamentos
O artista cujas obras.

Veja outros exemplos:

O trabalhador cujo salário está abaixo do que merece vive com dificuldade.
O policial cuja conduta é ilibada recebeu prêmio.
O supermercado cujos produtos estão em promoção fica próximo da ponte.
O juiz cujas sentenças são sábias dorme tranqüilo.

Experimente:
O carro do papai
A sala da casa
Os problemas do computador
As pedras do caminho

Ficará assim:
O carro do papai – Papai cujo carro
A sala da casa – A casa cuja sala
Os problemas do computador – O computador cujos problemas
As pedras do caminho – O caminho cujas pedras

O pronome relativo cujo será antecedido de preposição quando o verbo da oração em que ele se insere assim o exigir.

Veja:

Obedecer, assistir, agradar, aspirar - exigem a preposição A
Acreditar, crer, confiar, pensar, morar – exigem a preposição EM
Discordar, duvidar, desconfiar, gostar, depender – exigem a preposição DE
Contribuir – exige preposição PARA (*)
Ansiar – exige preposição POR
Simpatizar, antipatizar, concordar, deparar - exigem preposição COM

Portanto:
A associação a cujos preceitos obedecemos fica na Avenida Paulista.
O filme, a cujo começo não assistimos, saiu de cartaz.
Marilene, a cujo namorado o perfume não agradou, resolveu mudar a fragrância.
O ministério a cujo cargo aspiramos está em polvorosa.
O funcionário em cujas palavras não acreditei está de partida.
A enfermeira em cuja habilidade confio entrará em férias amanhã.
Você, em cuja capacidade creio, é a pessoa indicada para o cargo.
O hotel em cujo quarto Marion morou no verão passado foi demolido.
O autor em cujas obras infantis penso com muito carinho foi homenageado.
Pedro, em cujo apartamento Élen morou, doutourou-se.
O professor de cujas experiências discordo está lecionando na cidade.
A inflação, de cujos resultados duvidamos, está galopando.
O rapaz de cuja fala tanto desconfiei referia-se ao passeio no parque.
O autor de cujos livros românticos gosto está lançando um livro de suspense.
A casa de cuja escritura você depende fica muito bem localizada.
A instituição de caridade para cujas obras você contribuiu espontaneamente fez bom uso da doação.
O jogo por cujo resultado ansiamos está na iminência de acabar.
O compositor com cujas melodias você simpatiza é bem versátil.
João, com cujos trejeitos antipatizei na festa de formatura, chamou a atenção de todos.
A escola com cujos métodos de ensino concordamos está com as matrículas abertas.
A casa da gerente, com cuja reforma deparei, foi vendida há pouco tempo.

* Contribuí com trabalho para a festa.

8 comentários:

  1. Finalmente achei! não encontrava uma regra para o uso de preposição com pronome cujo.

    ResponderExcluir
  2. muito bom, tirei minhas dúvidas!

    ResponderExcluir
  3. ótima explicação, consegui tirar algumas dúvidas que ainda me perturbavam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ÓTIMA EXPLICAÇÃO. AMEI!! :)

      Excluir
  4. o lhe pode ser usado depois de cujo? ex: Comprou uma casa maravilhosa, cuja lhe custou uma fortuna.

    ResponderExcluir

Top 10 - Concursos Públicos